Sobre Liberdade e Independência

Sou livre? Sou independente? Posso ser livre sendo dependente, ou para ser livre preciso ser, necessariamente,  independente?

Já há algum tempo venho conjecturando sobre o significado de Liberdade e Independência, não do ponto de vista semântico[1], mas sim sob a ótica do comportamento humano e mais especificamente, dos relacionamentos interpessoais.

Penso que o conceito de Independência tem relação com o valor pessoal de cada um ou, se preferirem, com a Auto-Estima. Explico melhor: não sou independente se, para me sentir bem comigo mesmo dependo da opinião ou da avaliação positiva dos outros! Na prática, os sinais de que não sou independente aparecem quando me comparo com outros para me auto avaliar; concorro, desmedidamente, por visibilidade e atenção, pressiono para ser reconhecido, me submeto às exigências descabidas dos outros, procuro mostrar meus conhecimentos de forma exagerada, reajo às críticas de forma intensa e desproporcional, sinto despeito pelo sucesso dos outros, fico na defensiva e só me dôo se tiver recebido primeiro, não coopero e nem divido informações com medo de ser passado traz e por aí vai… A lista de exemplos pode ser grande…

Não se trata de não ligar para a opinião das pessoas sobre nós, pois não há nada errado  em querer ter sucesso, ser reconhecido, considerado ou querido!.A questão fundamental é: como me sinto se não receber o que desejo e se não tiver aprovação? Vou-me sentir indigno, desrespeitado, desconsiderado, injustiçado, rejeitado, abandonado, culpado?

Muitas pessoas acreditam que a falta de reconhecimento deve-se a algo de muito errado com elas, e tendem a generalizar esta crença achando-se totalmente inadequadas,  o que, certamente, não é verdade!  A verdade é que temos qualidades e defeitos. Seguindo esta lógica, a falta de independência, em primeiro lugar, causa frustração e baixa auto-estima, já que é impossível obtermos a aprovação de todas as pessoas e nem mesmo a aprovação total de alguém o tempo todo.  Em segundo lugar, a falta de independência faz com que nossos relacionamentos – afetivo, social, familiar, profissional – se tornem exigentes e tensos, pois estão baseados na nossa “exigência” de que a outra pessoa preencha do nosso vazio interior e não na troca, no dar e receber desinteressado e equilibrado. Os conflitos, em todos os níveis e em grande parte, decorrem do nosso desconhecimento de que apenas nós podemos preencher, gradativamente, nosso “vazio interior”

E quanto à Liberdade? Entendo que ser livre, ter liberdade, significa escolher, decidir, falar e agir segundo minhas próprias convicções e de acordo com a minha Consciência. Mas se, entretanto, minhas escolhas, decisões e atitudes estiverem “contaminadas” pelo meu desejo de reconhecimento e aprovação então, eu não decido por mim mesmo, mas sim pela opinião dos outros, portanto não sou independente.

Assim sendo, o pré-requisito para ter Liberdade é ser Independente! Sem que este pré-requisito seja satisfeito posso até pensar que sou livre, mas será uma ilusão que não se sustentará por tempo indeterminado.

Bem, agora a pergunta final: como posso me tornar Independente?

Acredito que um bom começo é assumir a nossa auto-responsabilidade. Aceitar o fato  de que, neste momento, tenho virtudes e defeitos, e meus erros são de minha total responsabilidade e não fruto do acaso ou culpa dos outros. Isto me tira do papel da vítima indefesa, me permite aprender com os erros, ampliar minha autonomia, me libertar da opinião dos outros, fortalecer minha auto-estima  e, finalmente me tornar mais e mais Independente!

Finalizo com uma citação de Steve Jobs que, além de um gênio da Era Digital, foi um humanista de grande sensibilidade:

“Seu tempo é limitado, então não o desperdice vivendo a vida de outra pessoa. Não fique preso pelo dogma – que é viver pelos resultados do que outras pessoas pensam. Não deixe o ruído da opinião dos outros afogar a sua voz interior. E o mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e sua intuição. Eles, de alguma forma, já sabem o que você realmente quer se tornar. Tudo o mais é secundário”

 

Steve Jobs (1955 – 2011)


[1] Liberdades.f. É a capacidade de agir, atuar, decidir, expressar-se, segundo sua própria vontade e determinação, mas dentro dos limites estabelecidos pela Sociedade. Independência -: s.f. Qualidade de quem tem autonomia. Que é, ou tornou-se, livre de qualquer laço ou compromisso afetivo, social, moral, etc. In, Novo Dicionário do Aurélio, Editora Nova Fronteira.

admin

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *